domingo, 5 de outubro de 2008

O Vício em Desistir



Subia o morro.
Seus passos seguiam vacilantes,brincando com as pedras da passagem.Uma nuvem se formou no seu caminho.
Sua mulher e seu filho sorriam.Tentou segurá-los,mas desvaneceram diante de seus olhos.
O cheiro de álcool em seu corpo trazia de volta a lembrança de quem era.E ele queria esquecer tudo.Mas as pedras não deixavam,o odor do seu corpo não deixava,o som da favela não deixava.
Barulho dos infernos!Sussurrou ébrio.
Mais uma nuvem de sonhos surgiu em sua frente.Lembrou-se de quando chegara naquele pedaço de chão e que hoje se apresenta naquela favela.
Viu os animais no pasto,o gado vistoso e a grama verde.
Tudo se foi.Os animais que ocupavam aquele lugar eram outros.
Eram pretos,brancos,putas,ladrões,malandros.Alguns trabalhadores da esperança e toda sorte de gente.Os animais dantes se alimentavam melhor que aquela gente desgraçada e esquecida por Deus.
A nuvem se desfez novamente e ele viu que estava perdido no meio daquelas vielas.
Perdido.
Essa palavra saiu forte de sua boca,quase que um grito.Ele era o homem mais perdido do mundo.
...

Dezoito anos.Seu filho com certeza já seria um homem.
Ele ali,covarde,trapo de gente.Não conseguiu completar sua missão.
Com o trabalho promissor de capataz logo conseguiria trazer a mulher e o filho que nem viu vir ao mundo.
Mas fez amigos,conheceu mulheres e caiu no vício da bebida e do cigarro.
O dinheiro mal dava pra comprar sua comida.
Depois a fazenda foi acabando,todos tiveram que buscar outra coisa para fazer.
Mas ele foi ficando.Viu a favela nascer.
...

Tentou andar mais erecto.Desejava ver as horas no velho relógio de pulso.
Estava escuro,queria saber o quão tarde era.Não conseguiu enxergar.
Acabara de decidir que não beberia mais.
Iria procurar o filho e a mulher.Reparar seu erro.
Seus olhos brilhavam.
Sorriu.
Um zumbido atravessa o ar.
Um corpo desaba,inerte.Pela primeira vez,silêncio...

24 comentários:

Ricardo Thadeu disse...

Gostei da narrativa. Enredo ipnotizante e desfecho trágico.

¡Adiós!






P.S. Gostei do tema do blog e do arranjo da página.Parabéns.

LUCAS DE OLIVEIRA disse...

bela história!
ótima narrativa

Marcelo Albinati disse...

Muito bom, do jeito que eu gosto: trágico...

Abraço...

May-Chan! disse...

Hey!
Obrigada pelo comentário lá no "Girar e rodopiar"!
Acabo de ler esse post...poxa, muito bom o seu texto..gostei d+
Voltarei com mais frequencia ^^
=*

Preta disse...

Nossa!
Texto forte, intrigante.
Gostei muito!!!

Parabéns, vc escreve muito bem!

beijOs
http://trilhasetrilhos.blogspot.com/

Brancááh disse...

seeu Blogger é demais viu :
Paraabeens !

rsevangelista disse...

muito bom o texto,

voce mesmo quem fêz ?
ficco massa ;)


passa lá !
http://rsevangelista.blogspot.com/

Neto disse...

Boa cronica, preciso aprimorar como escrevo esse genero.

fOr'll'y disse...

textos trágicos *O*
amo caoticismo e melodrama psicótico.
bom texto.
:D

Evan The Scarlet Angel disse...

Belo texto,parabens

http://evangelinescarletangel.blogspot.com/

Ellen Regina - facetasdemim disse...

Gostei do ritmo q vc impõe à narrativa. Eu leria um livro inteiro sem levantar da cadeira!

Parabéns!
www.facetasdemim.blogspot.com

rosangela disse...

História da vida real, talvez sim .. talvez não..

Adorei .. mesmo tendo um final triste .. rs

parabéns..

Carolzita! disse...

Muito boa a crônica.

Beijos

PequenAprendiz disse...

Gostei da sua crônica.
Será que Deus há de considerar esse último pensamento dele, de querer ser melhor?
Muito bom.
E por lá continua a nossa discussão sobre fidelidade do sexo masculino.
bjos

Kiara Guedes disse...

andando por ai cheguei ate aqui, gostei, voltarei mais vezes! Abraços

Cris Penha disse...

hummm... muito bom.

Gostei da forma como vc expôs a realidade nessa ficção.

Bjim

Gabi disse...

Anderson, suas crônicas estão cada vez mais densas e poéticas... Gostosas de ler e com pontos de reflexão interessantes.
Parabéns!

mari_vaz disse...

tocante e belo com sempre! Parabéns!!
Perdão pela ausência!!
Grande abraço!

Maldita Futebol Clube disse...

UMA NARRATIVA DRAMÁTICA E LIETRÁRIA. UM CONTO URBANO, BEM ESTRUTURADAO E COESO. DENSO. MEIO QUE "VIDAS SECAS", MEIO QUE "FELIZ ANO VELHO". uM DRAMA REAL, COM FINAL IMPENSADO E DRÁSTICO. UMA LEITURA GOSTOSA, QUE PEDE SEQUÊNCIA! PARABÉNS...(QUANDO O LIVRO SAIR, ESTAREI NA FILA DE AUTOGRÁFOS"RS) ABS, SOU FÃ DESSE BLOG!

Jersica Paes disse...

Faço das palavras da Gabi (conheço por alto essa guria, rs) as minhas...
Parabéns!

Maldita Futebol Clube disse...

Bem denso e estiloso, aliás por onde andas nobre blogueiro?

[ rod ] disse...

Olá moço...

Venha conferir o início de tudo.

Venha sentir o gosto dos meus...

Traga também os seus.

O AveSSo dA ViDa agora se chama dogMas.


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Carolzita! disse...

tem meme!!!

Maldita Futebol Clube disse...

o vicio de insistior nessa saudade que eu sinto de tudo que eu ainda não vi, nos deram espelhos e vimos um mundo doente tentei chorar e não consegui, por onde vc ó cavaleiro urbano? pensador inquieto e mordaz?